Flávio Dino entrega Escola Digna e agroindústria da mandioca em assentamento de Itapecuru

AGROINDUSTRIA

AGROINDUSTRIA

Um prédio novo, de alvenaria, com banheiros, carteiras e quadros modernos, marcam a entrada de cerca de 90 crianças do Assentamento Cristina Alves, em Itapecuru-Mirim, no século XXI. É que a Escola Municipal Maria Aragão, entregue pelo governador Flávio Dino, nesta sexta-feira (14), representa para a comunidade. A estrutura atual é bem diferente da estrutura antiga, de taipa e palha, que tinha piso de chão batido e umas poucas cadeiras de madeira para os estudantes. Ainda na passagem pelo assentamento, o governador entregou a Agroindústria de Mandioca da Vila Cabanagem, dinamizando a produção familiar no lugar.

“Continuamos no caminho certo, investindo em políticas sociais. Hoje estamos inaugurando equipamentos de apoio à agricultura familiar e ao mesmo tempo uma escola. Mostrando esse casamento em produção e educação, que são duas alavancas autênticas do projeto de desenvolvimento para todos, com justiça social”, destacou o governador Flávio Dino, durante a entrega dos dois equipamentos que darão mais qualidade de vida aos assentados.

CASA DE FARINHA

CASA DE FARINHA

A Escola Maria Aragão é mais uma entrega do Programa Escola Digna, estabelecido pelo governador Flávio Dino como um diretriz de governo, que tem substituído estruturas precárias de ensino e aprendizagem, que penalizavam alunos e professores de várias partes do Maranhão, por ambientes dignos e adequados para uma educação de qualidade.

Os filhos e filhas dos trabalhadores e trabalhadoras do campo que vivem no assentamento contarão, agora, com duas salas de aula, mobília nova, banheiros com acessibilidade, cantina, secretaria e diretoria. Uma nova realidade, como conta a agricultura Ivonete Lima Silva, mãe da Karla Cristina, de 4 anos, e do Luís Otávio, de 6 anos, estudantes da Escola Municipal Maria Aragão.

“As aulas funcionavam em uma casinha com um espaço muito pequeno e tinha muita criança, agora com essa nova escola vai ficar muito melhor, vai ficar mais espaçoso para os pequenininhos. Eu estou achando bom, a gente mora há 11 anos aqui no assentamento e essa é uma conquista para todos”, comemorou dona Ivonete.

O prefeito de Itapecuru, Miguel Lauande, esteve presente no evento de entrega e ressaltou a importância da parceria entre o Governo do Estado e a Prefeitura de Itapecuru-Mirim. “Este é um momento importante não só para essas comunidades que aqui vivem, mas para toda a Itapecuru. Agradecemos ao governador que veio no primeiro mandato, trazendo muitas obras, e agora retorna, trazendo dignidade ao povo”, pontuou.

Farol do Saber

MANDIOCA

MANDIOCA

Na ocasião, foi entregue, na cidade de Itapecuru, a revitalização do Farol do Saber Maria do Rosário Barros Amorim. O espaço, que passa pela primeira reforma, desde 2006, abre suas portas após dois meses de obras e mudanças em toda a sua estrutura – como teto, piso, novas instalações elétrica e hidráulica, climatização, acessibilidade e novo acervo com 200 obras literárias.

Agroindústria de mandioca

Aproximadamente 100 famílias da Vila Cabanagem, no assentamento Cristina Alves, serão beneficiadas com a chegada da agroindústria, que é voltada para produção de farinha de mandioca plantada pelos agricultores familiares. A estrutura conta com lavador e descascador, triturador, prensa hidráulica, além de forno elétrico e manual, que possibilita um processo mais artesanal da produção da farinha. A partir de melhorias na estrutura física, será possível impulsionar a comercialização dos derivados da mandioca para o mercado convencional e institucional.

Francisco Damasceno, 54 anos, trabalha há 12 anos com a casa de farinha e agora vai trabalhar na agroindústria. “Agora vai mudar muita coisa. A gente vai ter um trabalho mais leve, fazer uma farinha de qualidade para vendermos”, contou o produtor.

Sobre o assentamento

O assentamento Cristina Alves está a 17 km da sede do município, existe desde 2007 e possui 4.791 hectares. Com a escola, a comunidade também ganhou um poço e o Governo do Estado já iniciou a obra de instalação da rede de abastecimento, com a perfuração de outro poço.

Irismar Oliveira dos Reis faz parte da coordenação do Assentamento. Segundo ela, nos 12 anos de existência, o Cristina Alves recebe pela primeira vez atenção da gestão estadual. “Para a gente essa é uma grande conquista e representa uma grande parceria com o Governo do Estado, que olha os trabalhadores rurais do campo, por isso alcançamos esse avanço, com essas duas estruturas hoje aqui”, declarou.