Moqueado: A festa da Menina Moça

festa da menina moça

festa da menina moça

Redes espalhadas por todos os cantos e movimentação de índios chegando toda a hora, é sinal de festa na aldeia e festa das boas, daquelas realizadas uma vez por ano. Estão se preparando para a Festa do Moqueado ou a festa da Menina Moça, que marca a passagem das índias para a fase adulta.

O evento aconteceu neste último fim de semana (29 e 30/10) na Aldeia Xupé onde vivem 29 famílias, um total de 139 indígenas. A aldeia Xupé fica localizada no município de Amarante, na terra indígena Araribóia onde vivem mais de 100 aldeias distribuída numa área de 413 mil hectares. Cerca de 85% dos povos guajajaras vivem dentro dessa área.

Num dia de festa todos se reúnem num só lugar e aos poucos a aldeia vai ficando cheia. Uma oca feita de juçara no meio da aldeia determina o ponto da festa que vai servir de tocaia para as novas moças do lugar. Na aldeia Xupé foram quatro moças de 11 a 13 anos que já menstruaram pela primeira vez e agora foram apresentadas a comunidade, a festa tem o mesmo significado da festa de 15 anos para os não-indígenas.

festa da menina moça

festa da menina moça

O ritual começou cedo, por volta de cinco horas da manhã de sábado. Antes de entrar na oca, elas são pintadas com uma tintura feita do leite do jenipapo. Após a pintura elas ficam na oca. Por volta das 17h da tarde, depois de arrumadas com artesanatos, cordões, penas de aves, e saias longas, o vermelho se destaca porque representa os pássaros da mata. Depois de uma longa preparação elas estão enfeitadas, bonitas e saem da oca e mostram a beleza para toda a aldeia e são recebidas pelos mais velhos com muita música e muita alegria.

A festa dura a noite toda e, no domingo pela amanhã ocorre a última parte do ritual, com roupas brancas saudando o amanhecer e representando os antepassados. É nessa hora que começa a ser servido o banquete que dá origem à Festa do Moqueado.

festa da menina moça

festa da menina moça

O moqueado tem toda uma simbologia na tradição do povo Guajajara. Significa a fartura de alimentos e a partilha entre todos os habitantes da aldeia. São macacos, pacas, cotias, veados nambu, um pássaro nativo da região, que ficam cerca de 30 dias num jirau com brasa para ser defumado.

Essa caça ressecada é cozinhada um dia antes e servida no final da festa. Depois de servir o moqueado as meninas da aldeia estão prontas para casar e iniciar uma família.

Conhecer a cultura e o modo de vida dos povos indígenas é importante para que na aplicação das políticas públicas destinadas a eles, sejam eficazes. Nesses três dias nós realizamos a Feira de troca de sementes e ficamos impressionados com a riqueza e a preservação das sementes que são preservadas por muitos anos. Também pudemos conhecer esse ritual lindíssimo, ‘Festa da Menina Moça’, tão importante para a cultura desses povos. Nossa missão é apoiar ainda mais os povos originários respeitando sempre suas tradições, finalizou Ladyanne Pinheiro, superintendente de Organização Produtiva da SAF.

festa da menina moça

festa da menina moça